Geração solar: uma fonte energética acessível e segura no Brasil

Segundo Bento Albuquerque, ministro das Minas e Energia, a tecnologia fotovoltaica tem papel essencial na transição rumo a um futuro de baixo carbono e na promoção de segurança energética no mundo.

Sexta, 06 de novembro de 2020


A geração solar está rapidamente se consolidando como uma fonte segura e acessível no Brasil e tem papel essencial para a construção de um futuro de baixo carbono, disse o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. A fala foi feita em mensagem gravada para a terceira assembleia da International Solar Alliance (ISA), uma coalizão de países com alta incidência solar para o desenvolvimento do uso da energia fotovoltaica.

“Energia solar tem um papel essencial na nossa transição rumo a um futuro de baixo carbono e na promoção de segurança energética no mundo. Muito já tem sido feito nesse sentido, em parte por causa do forte declínio nos custos nos últimos anos. A energia solar está rapidamente aumentando sua participação na matriz elétrica mundial”, declarou Albuquerque.

“No Brasil, já superamos os estágios iniciais há algum tempo e a solar está rapidamente se consolidando como uma fonte segura e acessível. De fato, no ano passado, ela foi a fonte mais competitiva em nossos leilões de energia nova. O suprimento de energia solar fotovoltaica em nosso país dobrou entre 2018 e 2019 em termos de capacidade instalada, alcançando 5.6 GW em abril, o que corresponde a 3% do total”, assinalou o ministro.

Ele ressaltou que, embora esse número seja aparentemente pequeno, é apenas o retrato de uma rápida e ascendente curva de crescimento. “Nos próximos 30 anos, nossas projeções apontam para uma potência instalada entre 30 GW a 90 GW, correspondendo de 5% a 16% de nossa capacidade total. Em qualquer caso, ainda há um longo caminho pela frente e é por isso que o Brasil valoriza os esforços da ISA e seus países membro em promover a acessibilidade da energia solar ao redor do mundo.”

A assembleia virtual contou com a participação de ministros de 34 países membros da ISA. Na ocasião, Índia e França foram reeleitas como presidente e copresidente da coalização para um novo mandato de dois anos.

Durante a plenária, o ministro da energia da Índia, R.K Singh, afirmou que a energia solar evoluiu muito nos últimos cinco anos e tornou-se a fonte com maior índice de crescimento do mundo. “A energia solar já está contribuindo com cerca de 2,8% da eletricidade global e, se as tendências continuarem, se tornará até 2030 a fonte mais importante para a produção de eletricidade em boa parte do mundo.”

Fonte: Portal Solar


voltar